Arquivos do Blog

Pastor Everaldo defende privatização para evitar desvio de verbas

Na propaganda eleitoral obrigatória da quinta-feira (24) o Partido Social Cristão (PSC) exibiu um programa onde seu vice-presidente e pré-candidato à Presidência, Pastor Everaldo, fez críticas aos gastos do governo com a Copa e à corrupção.

Everaldo falou sobre os altos valores gastos para os jogos da Copa do Mundo no Brasil, evento que acontece nos meses de junho e julho, dizendo que os valores poderiam ser usados para melhorar a saúde, a educação e o transporte público.

“Uma copa bilionária, a mais cara da história, num país como o nosso, onde faltam hospitais, escolas e transporte público de qualidade”, disse o presidenciável no programa.

De acordo com o G1, a Controladoria-Geral da União mostra que os gastos federais com o evento esportivo somam R$25,7 bilhões, incluindo despesas públicas e privadas com estádios e obras de infraestrutura.

No programa eleitoral do PSC uma personagem grávida aparece questionando esse investimento e outra atriz questiona: “Imagine se o governo gastasse bilhões de reais em saúde?”.

Outro ponto destacado por Everaldo na propaganda obrigatória foi a privatização, para ele privatizando as empresas, o Estado poderia investir os recursos na população, evitando assim a corrupção, citando o caso recente da Petrobras.

“Enquanto esse governo que está aí é um governo estatizante [corte] nós somos privatizantes. Tudo o que for possível tirar da mão do Estado, da corrupção, para passar para a iniciativa privada, e a gente pegar os recursos para colocar na educação, na saúde e na segurança pública, nós vamos fazer”, afirma o pastor Everaldo.

Fonte:GospelPrime

Anúncios

Vídeo do Diante do Trono causa polêmica

Oração durante congresso gera críticas

Durante o feriado de Páscoa acontece em Belo Horizonte o 15º Congresso de Adoração e Intercessão Diante do Trono. Transmitido ao vivo pela internet, o evento reuniu líderes evangélicos conhecidos como Apóstola Valnice Milhomens, Pastor Márcio Valadão e Pastor Hudson Medeiros. Também estavam presentes lideranças influentes na área da música como a pastora/cantora Ana Paula Valadão, seu esposo pastor Gustavo Bessa, e seu irmão André Valadão.

Em meio a cerca mais de três horas da celebração, a pastora Ana Paula chamou ao palco todos os líderes para fazer o que denominou “Ato Profético: Transferência de Gerações”. Após um período de oração os pastores mais velhos oraram e impôs as mãos sobre a geração de Ana Paula (filha do Pr Márcio) que em seguida fez o mesmo para a “nova” geração, representada por Israel Salazar, Marine Almeida, Amanda Carius e Leticia Brandão, que hoje são integrantes do backing vocal do grupo Diante do Trono.

Dentro de pouco tempo o vídeo deste momento, com cerca de 4 minutos,  já circulava na internet, gerando uma série de comentários críticos à cantora. Em redes sociais como o Youtube e Facebook havia quem fizesse piada com os movimentos de Ana no palco, chamando de “unção do avião” e reclamando do fato de ela ter empurrado Israel. Ao mesmo tempo, muitos defenderam o ato profético, afirmando que não se pode criticar um movimento espontâneo guiado pelo Espírito Santo. Um terceiro grupo, inclusive, previa a polêmica, afirmando que muitos evangélicos “não entenderiam”.

Não é a primeira vez que a cantora se envolve em polêmicas por conta de uma ministração. Anos atrás ela engatinhou no palco durante um evento e falou sobre a “unção do leão”. Foi um momento parecido no Congresso de Adoração do Diante do Trono de 2011 que levou bispos da Igreja Universal a criticarem a cantora.

Veja o vídeo postado no Portal Diante do Trono

Fonte:GospelPrime

Justin Bieber usa redes sociais para responder às críticas por polêmicas: “Sou cristão, não um santo”

Justin Bieber usa redes sociais para responder às críticas por polêmicas: “Sou cristão, não um santo”

O cantor pop adolescente Justin Bieber tem atraído a atenção dos fãs e da mídia ao se envolver em algumas polêmicas.

Recentemente, o cantor foi flagrado fumando maconha, o que desencadeou grande repercussão em todo o mundo, e reações por parte dos fãs. Alguns, indignados, protestaram contra a postura do jovem, e outros, afirmaram seguir o exemplo dele também em relação às drogas.

Sites de fofoca também repercutiram uma foto íntima do cantor, que ele publicou nas redes sociais, e depois deletou. Entretanto, isso não foi suficiente para evitar que a imagem com as nádegas do cantor percorresse diversas publicações.

Usando o aplicativo Instagram, Justin Bieber, que é evangélico, reproduziu um trecho de um texto da escritora Carol Wimmer, intitulado I am a Christian (Eu sou cristão).

No texto, a autora fala sobre os aspectos visíveis da graça de Deus e a extensão do perdão divino, além de expressar a fraqueza inerente ao ser humano.

A mensagem foi entendida como uma resposta de Bieber às críticas destinadas a ele devido ao seu comportamento Veja a imagem publicada pelo cantor em seu perfil no Instagram:

i am a christian - carol wimmer

Confira abaixo a tradução do texto:

Quando eu digo, “Eu sou cristão,” eu não estou gritando,”Eu tenho uma vida pura.” Estou sussurrando, “Eu estava perdido, mas agora eu me encontrei e fui perdoado.”

Quando eu digo, “Eu sou cristão,” eu não digo isso com soberba. Estou confessando que eu tropeço e que eu preciso de Jesus para ser meu guia.

Quando eu digo, “Eu sou cristão,” eu não estou tentando ser forte. Eu estou professando que eu sou fraco e preciso da força dele para me proteger.

Quando eu digo “Eu sou cristão,” não estou me gabando do sucesso. Estou admitindo que errei e precisei de Deus para arrumar a minha confusão.

Quando eu digo “Eu sou cristão,” eu não estou clamando que sou perfeito. Meus erros são muito visíveis, mas Deus acredita que eu valho a pena.

Quando eu digo “Eu sou cristão,” eu ainda sinto um pouco de dor. Eu tenho minha parcela de mágoas então eu invoco o seu nome.

Quando eu digo “Eu sou cristão,” não estou dizendo que sou santo. Eu sou apenas um simples pecador que recebe as graças de Deus, de alguma forma!

 

Fonte:Gospel+

Líder católico chama judeus de “inimigos da igreja” e recebe criticas

Líder católico chama judeus de “inimigos da igreja” e recebe criticas

Durante uma conferência realizada em Ontário, Canadá, em 28 de dezembro de 2012, monsenhor Bernard Fellay, Superior Geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, fez uma série de criticas a alguns procedimentos do Vaticano durante os dois últimos anos.
Durante as duas horas de sua fala, ele reclamou diante dos membros da Fraternidade do fracasso das conversas com Roma sobre uma reintegração da Fraternidade na Igreja. Mas ao afirmar que “os judeus, os maçons e os modernistas” eram “inimigos da Igreja” acabou gerando uma grande polêmica ao ser postada no Youtube. Grupos de defesa dos judeus classificaram as declarações como antissemitas, reascendendo um debate de séculos.
Segundo Fellay, estes “inimigos” querem que Roma “obrigue” a Fraternidade a aceitar as decisões do Concilio Vaticano II (1962-1965). Para o monsenhor, isso mostraria que o Concílio é “coisa destas pessoas do exterior da Igreja, que ao longo dos séculos, foram claramente inimigos da Igreja” e se beneficiam com o Vaticano II. Ele ressaltou ainda o mal que a influência da maçonaria teria causado no Vaticano em anos passados.
Depois de várias criticas, somente agora o Vaticano se pronunciou a respeito. O cardeal suíço Kurt Koch, “ministro” do Vaticano nas relações com o judaísmo, lembrou que a encíclica “Nostra Aetate” é a “Carta Magna” do diálogo com os judeus e lembrou as “raízes judaicas do cristianismo”.
Por sua vez, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, garantiu que a Igreja Católica estava “profundamente empenhada no diálogo” com o judaísmo e que a posição da Santa Sé sobre essa questão é bem “clara e conhecida”. Ressaltou ainda que Bento XVI durante suas viagens, visitou a sinagogas “de Colónia a Nova Iorque, de Roma e Jerusalém”.
Por sua vez, Fellay emitiu nota ressaltando que a palavra “inimigos” foi usada aqui como um conceito religioso para referir-se a qualquer grupo que se oponha à missão da Igreja Católica que é a salvação das almas.
Segundo a nota “Este contexto religioso se baseia nas palavras de nosso Senhor Jesus Cristo segundo consta nos Santos Evangelhos: “Quem não está comigo está contra mim; e quem não ajunta comigo, espalha.” (Mateus 12: 30)
Ao referir-se aos judeus, comentário de Mons. Fellay referia-se aos líderes das organizações judias, e não ao povo judeu. Consequentemente, a Fraternidade de São Pio X denuncia as falsas acusações reiteradas de antissemitismo ou de discurso de ódio feitas com a finalidade de silenciar a sua mensagem”.
O problema é que, em 1985, um dos fundadores da Fraternidade, Dom Marcel Lefebvre, listou os inimigos da fé como sendo “judeus, comunistas e maçons”.
O papa Bento 16 teve uma série de discussões doutrinais com a Fraternidade São Pio X, em 2009, chegando a excomunhões impostas aos seus quatro bispos, pois foram ordenados em 1988 sem a aprovação papal. Mas já expressou suas esperanças que a Fraternidade poderia voltar à plena comunhão com a Igreja.
Em 2011, quando o Vaticano deu os líderes da Fraternidade um “preâmbulo doutrinal” que define os princípios e critérios necessários para garantir a fidelidade à igreja e ao seu ensino, eles se recusaram. Traduzido de Huffington Post e Catholic News.