Arquivos do Blog

Pastor é preso por protestar contra o aborto; Cartazes diziam que prática é assassinato de crianças

Um pastor que protestava contra o aborto num cruzamento foi preso por segurar um cartaz que dizia que a prática mata crianças. Stephen Joiner foi detido por quatro horas por supostamente ter desobedecido um policial que ordenou que ele deixasse o local.

Joiner é líder da Igreja do Nazareno, na cidade de Columbus, Mississippi, e agora é beneficiário de uma ação por conta de sua prisão, considerada abusiva.

O Conselho de Liberdade entrou com um processo de direitos civis contra a prefeitura da cidade e o capitão da Polícia, Frederick Shelton, em nome do pastor.

Durante a audiência do processo, o capitão Shelton acusou o pastor de violar leis municipais que regulamentam manifestações em grupo, porém, a defesa argumentou que o pastor estava sozinho no momento de sua prisão.

“A Primeira Emenda protege o direito dos cidadãos de se expressar sobre as vias públicas livres de interferência do governo”, disse Mat Staver, fundador e presidente do Conselho de Liberdade. “As ações da cidade foram totalmente injustificadas e são uma afronta aos direitos fundamentais de todos os americanos. Mesmo o discurso impopular é protegido quando pacificamente expressa, como o pastor Joiner fez aqui”, acrescentou Staver.

Fonte:Gospel+

Anúncios

Pastor evangélico é preso em flagrante com menina de 12 anos em motel

Na manhã da última sexta feira (25), um pastor evangélico de 40 anos foi preso em flagrante em Castanhal, nordeste do Pará, em um quarto de motel acompanhado de uma menina de apenas 12 anos de idade. Em depoimento, o pastor disse que levou a menina para o motel em um “momento de fraqueza”.

Segundo informações da Polícia Civil, os policiais do 5º Batalhão receberam uma denúncia anônima e foram até o motel, que fica no bairro dos Milagres, na estrada que liga o município a Inhangapi, e encontraram o pastor no quarto, sem camisa, com a menina.

O delegado Fábio Veloso de Castro, da Superintendência de Polícia Civil de Castanhal, explicou que o pastor teria flertado com a menina, que sempre passava em frente à sua casa e, na sexta feira, marcou de levá-la ao motel.

– Ele marcou de se encontrar com ela na escola, e alegou que queria conversar em um local mais reservado – disse o delegado, segundo a CBN.

Em depoimento, a menina relatou aos policiais que teria ido ao motel por livre vontade, e que lá foi acariciada e beijada pelo pastor. Porém, segundo a polícia, o consentimento da menina não muda a natureza do crime no qual o pastor será enquadrado: estupro de vulnerável.

Há muitos cristãos com a fé morta, diz Saeed Abedini em carta aberta

Há muitos cristãos com a fé morta, diz Saeed Abedini em carta aberta

Mesmo em meio ao brutal sistema prisional iraniano, o pastor Saeed Abedini, preso desde 2012, conseguiu enviar uma carta aberta aos cristãos. Por ocasião da Páscoa, o pastor, que foi condenado a 8 anos de encarceramento por ter pregado o evangelho, decidiu compartilhar uma mensagem com os cristãos ao redor do mundo

Ele cumpre uma sentença de prisão de oito anos, sob a acusação de ter evangelizando na república islâmica, onde isso não é permitido.

Doente, Abedini está hospitalizado e com péssimas condições de saúde. Recentemente, foi divulgado que ele sofria espancamentos frequentes na prisão. Sem ver a esposa e filhos há quase dois anos, ele decidiu mandar uma carta onde afirmou sua crença na necessidade da humanidade de Jesus Cristo.  O material chegou à imprensa neste final de semana.

“Na véspera da Sexta-feira Santa e Páscoa eu estava orando do meu quarto de hospital pelos meus irmãos de todo o mundo”, escreveu. “O que o Espírito Santo revelou a mim em oração foi que há muitos cristãos com a fé morta nos dias de hoje.”

Abedini continua: “Algumas vezes queremos experimentar a glória e ressurreição com Jesus sem experimentar a morte com ele. Não percebemos que, se não passarmos pelo caminho da morte com Cristo, não somos capazes de experimentar a ressurreição com Cristo.”

Ele encoraja os cristãos a lembrarem da necessidade de se abraçarem a Cristo, pois só assim alcançarão o verdadeiro sucesso pessoal. Em vez de focarem apenas no que desejam para si mesmas, o pastor ressaltou que neste período em que se pensa no significado da Páscoa, deveriam fazer o que Deus quer deles. Lembrou ainda Mateus 16:24: “Se alguém quiser seguir-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.”

Finalizou com um apelo: “Vamos ressuscitar nossas crenças mortas, tendo fé que precisamos primeiro morrer para o nosso egoísmo, assim experimentaremos a cruz de Jesus. Somente então seremos capazes de experimentar a ressurreição gloriosa de Cristo.”

Abedini tem sofrido com um sério problema na região do estômago, com uma lesão que foi provocada pelos repetidos espancamentos que sofreu na prisão.

Diversos movimentos cristãos e de luta pelos direitos humanos ao redor do mundo pedem a libertação do pastor Abedin desde que ele foi preso pela primeira vez. Aqui no Brasil o deputado Marco Feliciano tem trabalhado por isso. Mas o governo do Irã jamais deus uma resposta clara sobre a situação do pastor. Com informações de The Blaze.

Fonte:GospelPrime

 Ore por Saeed Abedini

Pai de santo é preso por estuprar adolescentes ameaçando que elas seriam punidas por “entidades” se não tivessem relações com ele

Nessa segunda-feira, um pai de santo foi preso em Brasília acusado de abusar sexualmente de adolescentes. Segundo informações da polícia, o religioso ameaçava as meninas dizendo que elas seriam punidas por “entidades” espirituais, caso se recusassem a ter relações com ele.

A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) informou ainda que as meninas tinham 11 e 15 anos quando começaram a ser molestadas pelo religioso. Testes realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) confirmaram o rompimento do hímen das garotas, hoje com 17 e 13 anos, o que para a polícia é um dos indícios do abuso.

Em sua defesa, o pai de santo nega ter tido relações com as adolescentes, e afirma que uma das garotas teria se insinuado para ele, após ter perdido a virgindade no Rio de Janeiro. Segundo o sacerdote, a menina teria o ameaçado de relatar um estupro, caso ele não tivesse relações sexuais com ela.

Ao fim das investigações, o religioso pode responder por estupro de vulnerável, estupro mediante fraude e por perturbação de tranquilidade. De acordo com o Correio Braziliense, além das duas adolescentes, a DPCA trabalha com a hipótese de que haja ainda mais vítimas.

Por Dan Martins |Fonte:Gospel+

Pastor Saeed Abedini, preso no Irã sob acusação de comprometer a segurança do país, estaria desaparecido

O pastor iraniano Saeed Abedini, preso em seu país de origem sob acusação de comprometer a segurança nacional estaria desaparecido, segundo informações do porta-voz do Centro Americano para Lei e Justiça (CALJ), Gene Kapp.

Abedini, que possui cidadania norte-americana, teria sido transferido do presídio onde estava para um local onde seria tratado: “O juiz do caso disse ao advogado do pastor Saeed, que ele iria transferi-lo para outra ala na Prisão de Evin para receber melhores cuidados médicos”, disse Kapp.

Entretanto, a família de Abedini não foi informada da transferência, e não pode confirmar o paradeiro do pastor, conforme informou o WND.

Antes da transferência, o pastor e seu advogado foram excluídos da sessão de julgamento de seu caso: “O Pastor Saeed e seu advogado foram excluídos da sessão de hoje. Não foi autorizado a assistir seu próprio julgamento. Foi-nos dito que o tribunal convocou outros pastores para depor hoje. Nós ainda não sabemos o que foi dito no tribunal, mas sabemos que o governo iraniano usa frequentemente ameaças e intimidações para obter o testemunho que ele quer”, afirmou Jordan Sekulow, presidente do CALJ.

Saeed, que conquistou cidadania norte-americana ao se casar com Naghmeh Abedini, se converteu ao cristianismo em 2000 e desde então, tem desenvolvido um trabalho de auxílio às igrejas cristãs no Irã, com viagens de entre seu país e os Estados Unidos.

Numa carta enviada à sua esposa, o pastor diz que tem passado por situações extremas na prisão, mas que isso o tem aproximado de Deus.

“Em um dia, há dor severa dos espancamentos durante o interrogatório, no dia seguinte são bons e me oferecem doces. Deus sempre quis me tornar um homem d’Ele. Eu não sabia que para se tornar um homem de Deus precisava ser como o aço sob pressão. É um processo difícil, porque a produção de aço deve passar do frio para o quente. E isso só faz de você um homem de aço à expansão do Seu Reino”, escreveu o pastor, de acordo com informações do Noticia Cristiana.

Para Jordan Sekulow, as acusações contra o pastor maquiam a real razão de seu julgamento: “O pastor americano está em julgamento no Irã por causa de sua fé cristã. É simples assim”.

Fonte: Gospel+

 

Pastor Yousef Nadarkhani foi preso novamente por autoridades iranianas, durante o Natal

O pastor iraniano Yousef Nadarkhani teria sido preso novamente, segundo informações de diversos sites internacionais, como Fox News e Christian Solidarity WorldWide (CSW).

Nadarkhani ficou mundialmente conhecido após ser preso sob acusação de apostasia. O processo contra o pastor previa a possibilidade de condenação à morte.

O pastor iraniano, após intervenção de diversos órgãos internacionais, além de lideranças políticas, foi absolvido da acusação de apostasia do islamismo, e acabou condenado a três anos de prisão por evangelizar muçulmanos. Como já estava preso a aproximadamente três anos, acabou sendo liberado em setembro, após pagamento de fiança.

Agora, Nadarkhani voltou a ser preso, sob ordem do diretor da cadeia onde cumpriu a pena. O argumento do responsável pelo presídio de Lakan é que o pastor foi solto alguns dias antes do prazo correto, devido à pressão exercida por seu advogado, Mohammed Ali Dadkhah.

A nova prisão aconteceu ontem, 25/12, no dia de Natal, e seria supostamente apenas para completar o período restante da pena, além de resolver trâmites burocráticos.

Após sua soltura, Nadarkhni participou de uma conferência da CSW, em Londres, onde testemunhou sobre seu tempo na prisão e agradeceu pelas orações em seu favor.

Um dos diretores da CSW, Mervyn Thomas, lamentou que o pastor tenha sido preso novamente: “Estamos decepcionados ao ouvir que o pastor Nadarkhani foi devolvido à prisão de uma maneira tão irregular. O momento é insensível e especialmente triste para sua esposa e filhos, que devem ter estado ansiosos para celebrar o Natal com ele, pela primeira vez em três anos. Esperamos que pastor Nadarkhani seja liberado sem demora, uma vez esta fase alegada foi totalmente cumprida. Nós também estamos pedindo orações para a segurança do pastor, e para sua família neste momento difícil”.

Por Tiago Chagas

Fonte:Gospel+

Pastor é preso por ensinar pais a baterem em seus filhos como forma de disciplina


O pastor evangélico Felipe Caminiti foi condenado a dois anos de prisão no estado de Illinois, nos EUA, por ensinar aos pais de sua congregação que eles devem bater em seus filhos quando estes se comportarem mal.

A prisão foi determinada pelo juiz do condado de Dane, Maryann Sumi, que diz ter ficado absolutamente horrorizado em saber que alguns pais ainda usam o cinto e a vara para punirem seus filhos por causa de seu mau comportamento. Os promotores do caso afirmaram ainda que Caminiti é “o pau na roda da conspiração”.

Segundo a Acontecer Cristiano, o diácono assembleiano Thiago Dearo, se manifestou sobre o caso questionando: “Qual de nós fomos crescendo, de vez em quando nossos pais tiravam o seu cinto, e nos batia na ‘bunda’ por algum comportamento mal?”, “Havia alguma coisa de errado com isso?”. O próprio diácono já responde: “Claro que não”.

Dearo fala ainda de sua experiência sobre o assunto: “Nunca fui espancado pelos meus pais, mas às vezes corrigido com o cinto, porque às vezes apenas palavras de advertência não resolviam, e isso me ajudou muito. O que é errado, é o espancamento, mas educar, com uma vara, não faz mal a ninguém. O que faz mal, e deixar a criança fazer o que quer, sem limites, isso faz mal. Porque quando crescer elas não aprenderam a terem limites, e ai o governo tentara colocar limites através da policia, mas não irá adiantar”.

Esse tipo de penalização está cada vez mais comum nos Estados Unidos, e os políticos do Brasil já trabalha também para aprovar a Lei da Palmada, que visava proibir o uso de castigos físicos nas crianças e adolescentes.

“Criar um filho na disciplina e instrução aprovadas pelo Senhor inclui disciplina física controlada, corretiva e sim, em amor”., ressaltou Thiago Dearo, tendo como ase a passagem bíblica de Efésios 6:4 que alerta: “E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor”.

Fonte: Gospel+