Arquivos do Blog

Apesar das recentes polêmicas, Rachel Scheherazade renova contrato por mais 4 anos com o SBT

A jornalista evangélica Rachel Scheherazade, que recentemente causou polêmica com seus comentários sobre os “justiceiros” que prenderam um suposto assaltante nu a um poste na zona sul do Rio de Janeiro, renovou essa semana seu contrato com o SBT.

Scheherazade chegou à emissora como uma contratação pessoal de Silvio Santos, mas a repercussão de suas opiniões transmitidas pelo telejornal que apresenta iniciou uma polêmica nacional, motivando uma representação contra o SBT no Ministério Público e até mesmo a censura de opiniões nos programas jornalísticos da emissora.

Nas últimas semanas, a jornalista chegou a negociar sua saída para a Band, mas reuniões com a cúpula do SBT ao longo dessa semana culminaram na renovação de seu contrato. Após reunião com o vice-presidente José Roberto Maciel e o diretor de programações, Leon Abravanel, seu contrato foi renovado por mais 4 anos.

– A proposta da Band me deixou dividida quanto ao meu futuro, mas não foi adiante. Não senti segurança no projeto que eles tinham para mim na emissora. Não ficou claro onde iria atuar: se faria bancada com o Boechat, se iria para o Café com Jornal, ou se estaria junto com o Boris Casoy. Diante das incertezas, achei melhor optar por não trocar de casa – afirmou a jornalista.

– Estou feliz em renovar com o SBT. Desejo que essa parceria possa ser duradoura e produtiva – afirmou Rachel.

Rachel comentou também sobre a censura de opiniões que ainda vigora nos telejornais do SBT, e afirmou que o próprio Silvio Santos lhe garantiu que essa situação será revertida em breve.

– É interesse da emissora que as opiniões voltem. Não sei se após as eleições, eles não me falaram de prazo. Mas o próprio Silvio Santos me falou que eu ficasse tranquila, pois as opiniões irão voltar. Acho que ele fala sério, afinal o sucesso do SBT Brasil e o diferencial do programa são exatamente as opiniões dos âncoras. O Joseval Peixoto também sente falta – afirmou a jornalista, em entrevista à revista Veja.

– Eles estão pensando num programa que aborde temas polêmicos e que possa trazer opiniões conflitantes de especialistas e também de leigos, mostrando uma variedade de pontos de vista. A conclusão do programa traria a minha opinião. Mas nada está definido. Acredito que, com o contrato assinado, vamos sentar para pensar o programa. Cada coisa ao seu tempo – completou.

Por Dan Martins | Fonte:Gospel+

Rachel Sheherazade pode ganhar programa de opinião no SBT

Em entrevista ao jornal O Globo a jornalista Rachel Sheherazade afirmou que pode ganhar um programa de caráter opinativo e informativo. A decisão de não deixar que os âncoras do “SBT Brasil” opinem partiu da direção da emissora diante da pressão política.

“Tivemos uma reunião com a cúpula da emissora, e essa solução nos foi apresentada para proteger a minha imagem profissional”, disse a jornalista que entendeu a mudança adotada pelo canal.

Apesar dos descontentamentos com as opiniões da jornalista, a audiência do jornal cresceu e houve também aumento de anunciantes. “A fórmula de reunir, em um único produto, notícias e opiniões foi um sucesso. Mas, a televisão é um mundo em constante movimento. É preciso estar preparado e aberto a toda mudança”, disse.

Sheherazade foi contrata pelo SBT justamente por conta de seus comentários que a destacaram quando ela trabalhava na transmissora do SBT em João Pessoa (PB). Há três anos Rachel e sua família se mudaram para São Paulo para que ela pudesse trabalhar na sede do SBT como âncora do principal telejornal da emissora.

Com a mudança Rachel e o jornalista Joseval Peixoto só poderão ler os editoriais escritos pela equipe, representando a opinião da emissora diante das notícias. Rachel afirma que ficará muito à vontade para cumprir esse novo papel, pois esta também é uma função do âncora.

Mas apesar de não deixar sua opinião no ar, ela continuará sendo um profissional de opinião. “A forma de um jornal não muda a essência do seu jornalista. Continuo sendo uma profissional independente, corajosa e de opinião”.

Pressão política

A decisão da emissora não foi tomada a pedido do público e nem dos anunciantes. Sheherazade deixa claro que nunca foi pressionada pelos telespectadores, mas sim por partidos políticos.

“Não houve pressão dos anunciantes. A única pressão foi política, vinda de dois partidos PSOL e PCdoB, que ingressaram com representações contra minhas opiniões na TV aberta”, disse.

Os deputados federais Ivan Valente e Jandira Feghali, ambos do PSOL, pediram o afastamento da jornalista da TV por conta de uma opinião dada por ela ao comentar o caso do jovem infrator que foi preso em um poste no Rio de Janeiro por “justiceiros”.

Sheherazade disse que era compreensível a atitude da população diante da falta de ação do Estado em barrar a violência, mas para os deputados a jornalista fez apologia ao crime.

Fonte:GospelPrime

A democracia do Brasil corre perigo, diz Malafaia sobre censura a Rachel Sheherazade

O pastor Silas Malafaia falou sobre a decisão do SBT em cancelar o quadro de opinião dos apresentadores do SBT Brasil.

A medida foi tomada após parlamentares entrarem com uma representação criminal junto à Procuradoria-Geral da República pedindo o cancelamento da verba pública repassada à emissora paulista.

Os deputados, liderados pela deputada Jandira Feghali (PSOL-RJ) afirmam que a jornalista Rachel Sheherazade estaria usando uma concessão pública para fazer apologia ao crime.

“Que vergonha! Que ridículo! O SBT ceder às pressões de partidos, tais como PSOL, PC do B e do PT. Partidos esses, que idolatram Fidel Castro, o governo da Venezuela e suas ideologias baseadas em Marx”, escreveu Malafaia.

O pastor presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo entende que a pressão dos deputados mostra que eles não estão em defesa da democracia ao impedir a liberdade de expressão.

“A democracia do Brasil corre grande perigo!”, diz Malafaia fazendo um alerta ao povo brasileiro: “Uma jornalista, na maior cara de pau, é silenciada. Liberdade de expressão para todo mundo falar a mesma coisa é ditadura da opinião”.

Malafaia continuou seu artigo explicando que verbas públicas garantem anualmente milhões de reais às emissoras e que ao calar uma jornalista independente o governo estaria impedindo que ela o criticasse.

“Imagine Sheherazade agora falando da roubalheira da Petrobras. É o governo silenciando a jornalista!”, disse em seu site, Verdade Gospel. Malafaia também se mostra desconfortável com a situação e afirma que “hoje estão silenciando uma jornalista, amanhã vão querer silenciar os pastores”.

Fonte:GospelPrime

SBT veta opiniões de Rachel Sheherazade em telejornal

Depois de 15 dias longe da bancada do SBT Brasil, a jornalista Rachel Sheherazade voltou a ocupar o posto de âncora, mas sem tecer comentários.

Proibir a jornalista de emitir opinião foi a decisão tomada pela direção do SBT para evitar novos conflitos. Agora as opiniões expressadas no jornal não serão mais de responsabilidade dos apresentadores, mas sim textos editoriais que serão de responsabilidade do canal, mas lidos pelos jornalistas.

A mudança foi anunciada pela empresa de Silvio Santos nesta segunda-feira (14) através de um comunicado oficial: “Em razão do atual cenário criado recentemente em torno de nossa apresentadora Rachel Sheherazade, o SBT decidiu que os comentários em seus telejornais serão feitos unicamente pelo Jornalismo da emissora em forma de Editorial. Essa medida tem como objetivo preservar nossos apresentadores Rachel Sheherazade e Joseval Peixoto, que continuam no comando do SBT Brasil”.

Sheherazade tem sido criticada por conta de um comentário que ela teceu sobre os “justiceiros” do Rio de Janeiro que amarraram um menor infrator nu em um poste. A jornalista disse que entendia a sede de justiça da população que foi abandonada pelo Estado.

As palavras de Rachel Sheherazade foram interpretadas de diversas formas e alguns deputados iniciaram na Câmara um pedido para negar a verba de publicidade do governo para a emissora, dizendo que a apresentadora do SBT Brasil estava fazendo apologia ao crime.

Fonte:GospelPrime

Rachel Scheherazade desmente que tenha sido afastada do SBT e afirma que continuará falando o que pensa: “Quando eu não falar, saberão que a censura venceu”

A jornalista Rachel Scheherazade interrompeu suas férias para negar que a folga concedida pelo SBT fosse na verdade, um afastamento de suas funções por conta de pressões feitas pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB).

A polêmica se iniciou quando a jornalista disse compreender a atitude dos “justiceiros” que algemaram um “marginalzinho” menor de idade a um poste por suspeita de participação em roubos. O comentário rendeu aplausos e críticas de telespectadores e internautas. Para Feghali, a jornalista fez incitação ao crime, e pediu ao governo que a verba publicitária destinada ao SBT fosse suspensa.

Diante desse cenário, as férias da jornalista evangélica foram interpretadas como afastamento, e muitos internautas chegaram a dizer que o SBT não queria perder dinheiro ou sofrer sanções do governo.

“Mais uma vez desfazendo boatos. Estou de férias e volto à bancada do ‘SBT Brasil’ no dia 14 de abril (segunda-feira)”, escreveu Rachel em sua página no Facebook. Em entrevista à Folha de S. Paulo, revelou que a folga havia sido programada desde antes da polêmica: “Estou de férias (12 dias) no Nordeste! Já estavam programadas há três meses. Volto segunda-feira, se Deus quiser”.

Rachel ainda pontuou que manterá seu estilo, polêmico e contundente, de comentar os fatos que são narrados pela reportagem da emissora: “Continuarei. E quando não mais eu falar, vocês saberão que a censura venceu a liberdade de expressão!”.

Por Tiago Chagas | Fonte: Gospel+

Volto ao SBT se Deus quiser, diz Rachel Sheherazade

Em entrevista à Folha de São Paulo a jornalista Rachel Sheherazade negou que esteja afastada do SBT por conta da pressão política que a emissora de Silvio Santos está sofrendo de partidos de esquerda.

A âncora do “SBT Brasil” disse que pegou férias e que volta ao comando do jornal na próxima segunda-feira. “Estou de férias (12 dias) no Nordeste! Já estavam programadas há três meses. Volto segunda-feira, se Deus quiser.”

Os rumores da imprensa eram que o SBT foi obrigado a afastá-la para não perder a verba pública de publicidade. O pedido para cancelar a verba do canal partiu da deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) que fez representação junto à Procuradoria Geral da República (PGR) contra a jornalista.

Feghali afirma que durante o comentário sobre o caso do menor infrator que foi amarrado em um poste no Rio de Janeiro, a jornalista fez apologia ao crime. Sheherazade já se defendeu dizendo que não apoiou o ato, mas que disse ser “compreensível” a atitude da população diante da ineficiência do Estado.

Apesar de toda a polêmica envolvendo seu nome, Rachel não pretende deixar de dar sua opinião. “Continuarei. E quando não mais eu falar, vocês saberão que a censura venceu a liberdade de expressão!”.

O SBT também desmentiu o afastamento e disse que adiantou as férias da jornalista para que ela possa participar da cobertura da Copa do Mundo que acontece em junho.

Fonte:GospelPrime

Rachel Sheherazade está com “dias contados” na TV

Cristã e conservadora, a jornalista Rachel Sheherazade não deve permanecer como âncora e comentarista do telejornal SBT Brasil. A informação do colunista do UOL, Ricardo Feltrin, é de que o SBT afastou Rachel por causa da pressão política e jurídica que vem recebendo.

Oficialmente, Rachel Sheherazade está em férias. Mas, como informou o colunista, ela já havia tirado férias em janeiro, ocasião na qual viajou a Paris e, de lá, participou de um hangout com o cantor Lobão para falar justamente do tema da liberdade de expressão no Brasil.

O SBT estaria sendo pressionado por comissões parlamentares e pela ameaça de perder mais de R$ 150 milhões em verbas publicitárias estatais. Com suas opiniões polêmicas sobre política e cultura, Sheherazade se tornou uma das vozes mais críticas ao governo Dilma.

Entenda o caso

As opiniões de Sheherazade sempre foram polêmicas. A mais controversa delas foi sobre a reação de populares no Rio de Janeiro que amarram um menor infrator a um poste. Para a jornalista, a reação dos populares é “compreensível” diante da ineficiência do Estado.

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) fez representação junto à Procuradoria Geral da República(PGR) contra a jornalista. A deputada comunista solicita investigação, alegando que a âncora do ‘SBT Brasil” cometeu crime de apologia e incitamento à tortura e ao linchamento.

A representação foi aceita pela PGR. Além disso, Jandira Feghali e grupos de direitos humanos fazem pressão para que o SBT tenha suas verbas estatais suspensas até que o caso seja devidamente apurado e Rachel Sheherazade seja oficialmente afastada do programa.

Deputada pede que governo suspenda repasse de verbas ao SBT por conta de opiniões da jornalista evangélica Rachel Scheherazade

As opiniões da jornalista Rachel Scheherazade, evangélica e comentarista do Jornal do SBT, levaram a TV de Silvio Santos à mira do governo federal, que estuda suspender a verba publicitária repassada à emissora.

A informação, divulgada pelo Congresso em Foco, revela que a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) pediu ao ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, que estude a possibilidade de cortar o repasse ao SBT como represália à postura da jornalista.

Rachel Scheherazade é conhecida por suas opiniões contundentes, como no caso em que defendeu a liberdade de expressão ao pastor Marco Feliciano (PSC-SP), quando ele era alvo de protestos constantes de ativistas gays. Recentemente, a jornalista tornou-se alvo de críticas de parte da sociedade por dizer que era compreensível que cidadãos se tornassem justiceiros pois a incapacidade do Estado em garantir segurança à população levava os cidadãos ao desespero.

“Em meu espaço de opinião no jornal SBT Brasil, afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio”, defendeu-se Rachel Scheherazade à época, num artigo publicado na Folha de S. Paulo.

Jandira Feghali acusa o SBT de ter feito apologia e incitação ao crime por deixar a opinião de Scheherazade ir ao ar, e afirma que continuará insistindo em punição à emissora: “A Secom me deu um primeiro retorno dizendo que concorda com o conteúdo do nosso pedido e que estuda quais providências tomar”, afirmou a deputada.

O SBT recebeu, somente em 2012, R$ 153 milhões em verbas publicitárias do governo. Na prática, a medida resultaria na interrupção da veiculação de propagandas do governo na emissora. Como o governo pode subsidiar um canal que tem uma editorialista que incita à violência e à justiça com as próprias mãos?”, questiona Jandira Feghali.

No entanto, o apetite da deputada é maior, e ela estuda pedir a cassação da concessão pública dada ao SBT, o que resultaria na retirada da emissora do ar. Segundo Jandira Feghali, tal pedido só será feito depois que a ação sobre apologia e incitação ao crime for julgada, e a parlamentar não teme que o caso seja taxado como censura: “Não podemos ser coniventes com nenhum crime. O único poder capaz de julgar a proporcionalidade da punição é a Justiça, que dá direito de defesa. Temos de defender o estado democrático de direito”.

Por Tiago Chagas | Fonte:Gospel+

Jornalista diz que Igreja Mundial estaria perdendo metade dos fiéis por causa de ausência na TV

A Igreja Mundial do Poder de Deus estaria atravessando um momento de perda de fiéis em seus cultos, e boa parte dos líderes que assessoram o apóstolo Valdemiro Santiago crê que seja efeito da ausência da denominação na TV.

De acordo com o jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, “a turma de Valdemiro Santiago calcula que caiu pela metade a plateia de fieis nos cultos” desde que a Igreja Universal passou a ocupar os horários que antes eram locados pela Mundial em emissoras do Grupo Bandeirantes.

Até o final de 2013, a denominação de Santiago arrendava boa parte da programação do Canal 21 e ocupava as madrugadas da Band com a exibição de cultos e programas. Por conta de supostos desvios de dízimos e ofertas, a Mundial atrasou o pagamento dos aluguéis e a Igreja Universal fez uma proposta para ocupar seu lugar, o que foi aceito pela direção da Band.

Muito se especulou na mídia que a iniciativa da denominação liderada pelo bispo Edir Macedo era uma estratégia para recuperar fiéis que haviam migrado para a Mundial. Segundo Jardim, “surtiu efeito a estratégia de Macedo com o seu maior rival”.

Por Tiago Chagas | Fonte: Gospel+

Igreja evangélica negocia horário da tarde da Rede TV!, diz jornalista

Igreja evangélica negocia horário da tarde da Rede TV!, diz jornalista

Segundo informações do colunista Flávio Ricco, do portal UOL, as tardes da Rede TV! podem ser alugadas para uma igreja evangélica. O jornalista informa que uma proposta irrecusável foi feita aos donos da emissora localizada na cidade de Osasco, na Grande São Paulo.
O nome da igreja não foi divulgado, mas ela ocuparia o horário das 12h às 18h de segunda a sexta-feira. Atualmente esta faixa é ocupada por três programas, sendo dois evangélicos e um noticioso que é o A Tarde É Sua, apresentado por Sonia Abrão.
A Rede TV! é a emissora que mais repassa horários de sua programação para igrejas evangélicas. Durante a semana as igrejas Universal do Reino de Deus e Internacional da Graça de Deus revezam seus cultos e programas evangelísticos.
Já no final de semana a programação exibe ministrações de líderes de diferentes denominações como Assembléia de Deus do Bom Retiro, AD do Brás, AD Vitória em Cristo, AD Belém, Internacional da Graça, Bola de Neve e outras.