Arquivos do Blog

Igreja faz campanha de oração por chuva e vê milagre acontecer

Centenas de cristãos da cidade de Austin, no Texas, pediram a intervenção divina para aliviar a sua cidade de uma seca sem precedentes. Poucos dias depois de uma campanha maciça de jejum e oração ao longo de uma semana, a chuva caiu.

Os membros das igrejas evangélicas agora oram agradecendo pelo milagre. Obviamente os críticos alegam que foi apenas coincidência.

“Eu acredito que Deus pode fazer grandes coisas e acredito que ele vai fazer chover” afirmava Emily Davis, uma cristã de Austin, em uma entrevista para a rede Fox dias antes da chuva começar.

Para a maioria dos cidadãos da região, não há dúvidas que foi um milagre. Não havia previsão de chuvas. Os dois reservatórios da região, Lago Travis, estão bem abaixo do nível considerado ideal. Mais chuva ainda é necessária nos próximos dias para minimizar os efeitos da seca.

O meteorologista Bob Rose foi consultado e explica que durante o mês de maio em algumas áreas as chuvas foram maiores do que o esperado.

“Falo pelo lado científico agora. Estou olhando para todos os gráficos e vendo como a atmosfera se comporta. A média de chuvas nessa área é de cerca de 12 centímetros. Mesmo assim, em alguns pontos a precipitação foi realmente acima do normal para o mês de maio”, explicou ele à Fox.

O pastor Will David Jr. da Austin Christian Fellowship conta que iniciou semanas atrás uma campanha entre os fiéis para que o maior número de pessoas possível intercedesse pela situação. O movimento cresceu espontaneamente e atraiu milhares de pessoas, membros de várias igrejas da região. Eles estiveram inclusive na câmera de vereadores e convidaram autoridades para se juntar a eles.

O movimento cresceu e chamou atenção da mídia que passou a cobrir a campanha. No dia 22 de maio, membros de diversas igrejas evangélicas da cidade reuniram-se no templo da Igreja batista de Hyde Park para uma maratona de oração. Durante o dia inteiro, liderados pelo pastor Kie Bowman, os fiéis intensificaram suas orações e decretaram um período de jejum. E eles dizem que continuarão orando até a seca passar.

Para o pastor Will David Jr., essa sempre foi uma questão séria. “Quando anunciamos que estávamos orando, usamos o nome de Deus. Era isso que estava em jogo a partir daí”.

Cinco dias depois, uma tempestade caiu na região, com chuva forte o bastante para ajudar a elevar o nível do Lago Travis até quase o mínimo necessário para evitar o racionamento. Com informações The Blaze.

Fonte:GospelPrime

Pastor faz jejum de 40 dias para “salvar o mundo”

Pastor faz jejum de 40 dias para “salvar o mundo”

Serão 40 dias e 40 noites, um total de 960 horas sem comer nada. O apóstolo Luis Olavo, 51, líder da igreja evangélica “Projeto a Noiva” diz que faz isso em intercessão pelo mundo.

A reportagem de Bruno José, da Rede Record do Paraná, foi ao ar no programa Balanço Geral de Curitiba no último sábado. O objetivo seria “chamar atenção para a religião nas famílias”.

Luiz afirma que essa é a quinta vez que fica sem comer nada, apenas tomando água por 40 dias e garante que nunca passou mal.”Foi dádiva que Deus me concedeu, de ter essa energia para poder me dispor, dispor o meu tempo e a minha vida a interceder através do jejum e oração pelo mundo, pelas pessoas e pelo povo de Deus”, explica.

Para ele e sua igreja, isso o capacita a ministrar e ver milagres acontecerem, como testemunha a fiel Luciane de Souza, que foi curada pelas orações do pastor.

Após terminar esse jejum, que começou em 15 de janeiro e vai até 24 de fevereiro, seu próximo projeto é fazer o jejum de 40 dias em Brasília, intercedendo para que o país seja de um “povo culto, abençoado, curado, liberto e esteja debaixo da mão de Deus”.

O site da igreja (igrejaanoiva.blogspot.com.br), faz um acompanhamento diário e está repleto de testemunhos de pessoas alcançadas pelo ministério.

Assista:

 

Segundo um estudo publicado pelo National Institute on Ageing [Instituto Nacional de Estudos do Envelhecimento] localizado em Baltimore, Estados Unidos, o jejum além de ajudar a perder peso dá um “impulso extra” ao cérebro.

Mark Mattson, líder do laboratório de neurociências do Instituto, afirmou durante o encontro da Associação Americana para o Avanço da Ciência, que seria suficiente reduzir o consumo diário para 500 calorias. Uma pessoa normalmente consome cerca de 2000 calorias por dia.

Com a alternância, a pessoa poderia sentir os benefícios do “jejum mínimo”, que equivale a consumir alguns legumes e chá, jejuando duas ou três vezes por semana. “Reduzir o consumo de calorias poderia ajudar o cérebro. Porém, fazer isso apenas diminuindo o consumo de alimentos pode não ser a melhor opção. O melhor seria alternar períodos de jejum, onde se ingere praticamente nada, com períodos em que pode-se comer o quanto quiser”, disse Mattson.

A maior ênfase da pesquisa foi mostrar que a prática constante do jejuar gera um maior desenvolvimento de novas células cerebrais que são mais resistentes ao stress, protegendo o cérebro de doenças como mal de Parkinson e Alzheimer e os AVCs.

O National Institute of Ageing chegou a essas conclusões usando cobaias. Alguns animais receberam o mínimo de calorias em dias alternados. Eles viveram duas vezes mais que os animais que se alimentaram normalmente.