Arquivos do Blog

Marcos Rodrigues fala sobre seu novo disco – Deus é por mim

Quem é Marcos Rodrigues? 

Eu sou alguém que serve a Deus levando a sua mensagem através da música. Sou casado com Michele Carvalho desde 2010, a quem muito amo, sou alguém que ama o que faz e o que faço, faço pro Reino de Deus.

Como foi seu início na música e, mais especificamente, na área de louvor e adoração? 

Aos 9 anos de idade ganhei um teclado mas não me interessei muito a não ser pelas cores que ele possuía (risos), mas aos 13 anos percebi que minha família era muito ligada a música e decidi que comigo não seria diferente, então comecei a estudar violão e foi com o violão que comecei a escrever canções sobre o que eu sentia por Jesus Cristo, o Deus que conheci aos 10 anos de idade.

O envolvimento com a adoração na igreja veio como consequência de uma vontade de compartilhar com os irmãos o amor a Cristo, que eu descrevia em minhas canções, eu sempre incluí em minha adoração junto à congregação, canções próprias.

O que mais marcou você durante a gravação do disco “Deus é por mim”? 

Eu estava dando aulas de canto durante a gravação do disco, e o desgaste da voz foi enorme, cheguei um dia no DSN Studio e a minha voz não me obedecia, simplesmente não havia agudos e minha voz estava muito rouca, achei que não fosse conseguir gravar a minha voz no álbum, achei que estava se repetindo um problema que tive de hiperemia nas pregas vocais seguida de nódulos que me deixaram 20 dias sem falar.

Naquele dia o meu produtor Ed Oliver, orou por mim, foi algo que me ajudou bastante, percebi que ele era realmente alguém envolvido pela Graça de Deus. Chorei muito por não conseguir gravar naquele dia, achei que tinha estragado os planos de Deus, mas Deus permitiu aquela situação pra responder de uma vez por todas que este Cd é a vontade dEle também. Deus me curou e 10 dias depois eu estava de volta as gravações glorificando muito (risos).

Qual o estilo e a sonoridade do disco? 

O estilo que tenho escolhido para levar as mensagens que Deus me dá, tem sido o Pop, Pop/Rock e é o estilo do projeto, acredito que no momento esse estilo faz com que as pessoas entendam com mais clareza a mensagem cantada devido a simplicidade das melodias, harmonias e ritmo, e como eu priorizo a mensagem, eu jamais me prenderei a um estilo por vaidade musical, mas eu sempre vou escolher um estilo que seja de fácil assimilação para o público.

E quanto às canções? Como foi o processo de seleção do repertório?

O que facilitou a seleção foi o fato de na ocasião eu ser o líder na adoração musical da minha igreja e sempre ensinar canções de minha autoria nos cultos, isso me ajudou a perceber quais canções eram facilmente assimiladas. Também não foi difícil fazer a combinação dos temas entre as canções, já que eu sempre escrevo sobre Céu, Cruz, Renúncia, e Perseverança na Fé, assim os temas das minhas canções sempre acabam interagindo.

Qual ou quais músicas você destaca neste trabalho? 

Eu não tenho nenhuma preferência, pois amo todas e as ouço no momento adequado com o assunto de cada uma, mas a quesito de uma boa primeira impressão eu aconselho as canções DEUS ME OUVIRÁ, CRISTO VIVE EM MIM, e DEUS É POR MIM.

Qual(is) canção(ões) o público tem se identificado mais? E porque essa identificação ocorre? 

A canção CRISTO VIVE EM MIM, tem assumido esse posto de identificação, e acredito que seja pela mensagem “cristocêntrica” de que “Se eu morro eu vou pra Cristo e se eu vivo, Cristo vive em mim”. Em meio a tantas mensagens controversas ao evangelho de Cristo, uma mensagem que se alinha literalmente com a Palavra de Deus com certeza não voltará vazia.

Você já tem investido em vídeo clipes? Como você enxerga esta ferramenta dentro do seu ministério?

Eu enxergo como algo essencial, creio que algumas pessoas até preferem o YouTube ao Invés de um Compact Disc, e estamos preparando muitas novidades para as canções em vídeo, aguardem!.

Como você tem tratado sua identidade visual na web e nos meios de divulgação em geral? 

A começar pela capa do meu Cd, onde não apareço e ao invés disso destacamos a mensagem que queremos propagar, penso em continuar por esse caminho, mas entendo que as pessoas merecem conhecer o rosto por trás das canções, e se faz necessário divulgar a imagem pra que se possa alcançar posteriormente os lugares alcançados antes apenas com as canções, mas não queremos que o nome ou a imagem achegue as pessoas antes do propósito e da motivação que é a palavra de Deus. Por isso ainda estamos nos recursos básicos que são o site e as redes sociais em geral.

Quais os seus planos para o ano de 2014? 

O maior plano é sempre o de não retroceder, já que Deus não se agrada de tal ato, então seguido desse vamos buscar meios de divulgação a fim de trazer ao conhecimento do maior número de pessoas possível, a informação de que temos um ministério voltado para a adoração, mas que se dedica muito a pregação da Palavra de Deus pura e transformadora através da música.

Deixe aqui os seus contatos: 

Fone: (19) 9 8801 5382 (Marcus Paulo)
Site: http://www.marcosrodriguesoficial.com.br
E-mail: agendamarcosrodrigues@gmail.com

Silvio Santos fala que sexo antes do casamento é pecado

No “Programa Silvio Santos” do último domingo (20) o apresentador Silvio Santos brincou que irá se sentar no trono do Templo de Salomão, da Igreja Universal, para dar conselhos.

Sua filha, a apresentadora Patrícia Abravanel, pediu então um conselho se ela deve se casar antes ou depois do nascimento de seu primeiro filho, Pedro, fruto do namoro com o deputado federal Fábio Faria.

Silvio Santos respondeu a pergunta falando que sexo antes do casamento é errado. “Como você já pecou você deve casar o mais rápido possível, o que seria muito melhor”, disse ele.

Mesmo em tom de brincadeira o dono do SBT usou argumentos que seguem os princípios bíblicos ao afirmar que o homem e a mulher devem se manter virgens até o casamento, pois isso evita que haja comparações com parceiros sexuais anteriores, evitando assim o fim do relacionamento.

“Quando a mulher sai com outros homens, quando ela casa e o marido não é o que ela encontrou nos outros homens, ela fica frustrada e abandona o marido. Se ela não conhecer outros homens antes, ela não vai conhecer o sexo antes ela vai ficar satisfeita e o casamento vai durar”, disse ele.

Patrícia, que já foi pastora evangélica, achou a declaração do pai machista e perguntou se os homens também devem se casar virgens. A resposta de Silvio Santos foi a mesma, dizendo que o casal deve permanecer virgem até o casamento para evitar frustrações sexuais e separações.

“O casamento foi feito para que homem e mulher, virgens, se unam e se conheçam no sexo e no decorrer do casamento sejam próximos, sejam comparsas”, afirmou.

Voltando a brincar, Silvio Santos falou que porque muitas pessoas estão fazendo sexo antes do casamento o diabo está querendo comprar mais terreno pro inferno, declaração que fez a plateia do programa dar muita risada.

Assista:

Fonte:GospelPrime

Marco Feliciano fala sobre homossexualidade e política no Agora é Tarde

O pastor Marco Feliciano, deputado federal pelo Partido Social Cristão de São Paulo (PSC-SP), voltou à mídia nesta quarta-feira (23) após deixar a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Feliciano participou do programa “Agora é Tarde”, apresentado pelo polêmico humorista Rafinha Bastos. Logo que anunciou sua participação milhares de internautas se dividiram sobre o pastor conceder ou não conceder a entrevista a Rafinha. Muitos internautas acreditavam que o humorista poderia prejudicar a imagem do pastor com suas piadas de dúbio sentido.

Ainda assim, a participação do líder da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento não causou constrangimentos. Feliciano falou sobre os temas recorrentes e fez algumas revelações sobre sua vida pessoal.

Rafinha iniciou a entrevista questionando o parlamentar sobre o sumiço na mídia. Para o pastor o que houve foi uma tentativa de usá-lo como bode expiatório, mas como não tiveram resultado, quando a imprensa parou de falar sobre sua estada na CDHM, Feliciano diz que houve as grandes manifestações no Brasil contra o Governo.

O apresentador também questionou Feliciano se sua rejeição na CDHM não teria sido motiva por suas posições polêmicas. Para Feliciano esta rejeição é de um grupo minoritário que representa 3% da nação, enquanto que 90% da população manifestava apoio às suas opiniões.

Rafinha Bastos questionou Feliciano sobre sua opinião quanto a homossexualidade e afirmou que o Movimento LGBT “extrapola as vezes até para mostrar sua causa de maneira mais veemente”.

“A conclusão que eu cheguei é que o homossexual em si é um fenômeno de comportamento. A pessoa não nasce, porque não existe o gene gay, a ciência não conseguiu descobrir até hoje. Então é um fenômeno comportamental. O próprio movimento chama de orientação sexual. Se é uma orientação pode haver uma reorientação ou até uma desorientação”, comentou o parlamentar.

Para o pastor o único profissional que poderia estudar o comportamento homossexual é o psicólogo, porém no Brasil o Conselho Federal de Psicologia proíbe os profissionais da área de abordarem o tema.

Para a surpresa do público evangélico o apresentador chegou a citar passagens bíblicas que tratam sobre a questão da homossexualidade. Rafinha Bastos lembrou a passagem em Apocalipse sobre os que entrarão no reino dos céus citando os afeminados como sendo aqueles que serão impedidos.

O apresentador encerrou a participação de Feliciano em um quadro onde o parlamentar deveria escolher aquelas pessoas que ele coligaria e aquelas que ele não concorda com a opinião e por isso não coligaria.

Marco Feliciano disse que não coligaria com a presidente Dilma Rousseff. Apesar de não explicar os motivos Feliciano tornou-se um crítico do Governo por considerar que foi usado pelo mesmo como bode expiatório. Nas eleições de 2010, Feliciano chegou a fazer campanha em favor do Partido dos Trabalhadores.

Ao apresentar a ex-ministra Marina Silva o parlamentar também rejeitou uma possível coligação, pois para ele Marina traiu os princípios cristãos. O parlamentar lembrou que em 2010 a candidata Marina Silva conquistou mais de 20 milhões de votos, sendo uma surpresa nas eleições presidenciais, mas acabou não opinando sobre questões morais. Marco Feliciano também lembrou que durante a participação da ex-senadora no programa Roda Viva ela acabou dando uma resposta dúbia sobre o criacionismo. Na época Feliciano chegou a publicar um artigo criticando Marina Silva.

Entre outras personalidades o parlamentar disse que coligaria com a jornalista do SBT, Rachel Sheherazade, âncora do telejornal “SBT Brasil” que se envolveu em uma polêmica após defender a ação de cidadãos no Rio de Janeiro contra um bandido.

Para Feliciano a jornalista é uma das poucas vozes que representam o pensamento da sociedade. Sheherazade foi proibida de expressar opiniões após perseguição política sofrida pelo SBT.

Rafinha Bastos também criticou a censura à jornalista e disse que a jornalista representa o pensamento de muita gente.

Assista:


Fonte:GospelPrime

Marco Feliciano reafirma que não renunciará, fala sobre aborto e diz que movimento LGBT quer impor uma “ditadura gay” no Brasil. Assista

O pastor Marco Feliciano concedeu uma entrevista ao programa Poder e Política, exibido pelo portal Uol em parceria com  o jornal Folha de S. Paulo, e comentou as questões que tem cercado seu mandato nos últimos dias.

Feliciano voltou a negar que renunciará ao cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), e disse que está acostumado a pressões.

“Quero agradecer a oportunidade que você me dá de a primeira vez, agora, dar uma entrevista séria para um portal sério. E dizer que não há possibilidade nenhuma de renúncia. Não há possibilidade nenhuma de renúncia até porque eu não cometi nenhum crime, eu não passei por nenhum tipo de julgamento, nenhum tipo de tribunal e o que tem acontecido é apenas a força de um grupo da sociedade que luta muito para que eu, debaixo dessa pressão, saia do cargo. Só que pressão é meu sobrenome. Desde criança eu vivi sobre pressão. Eu nasci de uma família pobre e vivi até agora”, disse Feliciano ao jornalista Fernando Rodrigues, apresentador do programa.

Sobre questões ligadas ao aborto, Feliciano afirmou ter ficado feliz pela escolha da Igreja Católica por “um papa que ainda é bem ortodoxo, é bem conservador e que prima” pela vida, posicionando-se contra a legalização da interrupção das gestações.

“A família é a base da sociedade. Aliás, a família é antes da sociedade. A família é antes do estado. Então, nós não podemos destruir a família. Se você destruir a família, você destrói a sociedade, destrói o estado. Isso já aconteceu em outras civilizações. Então, existe uma proteção. É preciso ter o contraponto e o contraditório”, disse Feliciano.

O pastor posicionou-se contra, inclusive, ao aborto em casos de estupro, dizendo que “Vivemos num mundo cão”, mas que o bebê “não tem culpa disso. É uma vida. É uma criança”.

Para o pastor, o melhor caminho nesses casos é encaminhar o bebê para adoção: “Se ela não quer cuidar da criança, existe uma fila imensa de pessoas que querem adotar essas crianças. Dê a luz e dê essa criança para que alguém possa cuidar dela, mas não assassine. Não aborte”.

Feliciano-Fernando RodriguesMarco Feliciano fez uma revelação a respeito de sua mãe para contextualizar sua postura nesse assunto: “Eu sou filho de uma mulher que, por causa dada à pobreza… A minha mãe… Houve um tempo na vida dela em que ela tinha uma pequena clínica de aborto. Uma clínica clandestina. Eu cresci no meio disso. Eu vi mulheres perderem o seu bebê assim e fiquei traumatizado por isso. Eu vi fetos serem arrancados de dentro de mulheres. Isso é uma tortura. Não se faz isso. Não se faz isso. A vida é um dom de Deus. Só Deus dá e só Deus tira”, pontuou.

Comentando as acusações de racismo feitas contra ele, Feliciano citou o poema “Vozes D’África”, do escritor abolicionista Castro Alves, e voltou a negar que seja racista por sua menção à teologia que defende a ideia de que os habitantes do continente africano são descendentes de um neto de Noé, amaldiçoado por ele.

O pastor pontuou ainda que toda a polêmica foi “empesteada” no país pelo movimento LGBT, que segundo o pastor, pretende instalar uma “ditadura” no país, e impor seus pensamentos.

“Eles querem impor o seu estilo de vida e a sua condição sobre mim. E eles lutam contra a minha liberdade de pensamento e de expressão. Eles lutam pela liberdade sexual deles. Só que antes da liberdade sexual deles, que é secundária, tem que ser permitida a minha liberdade intelectual. A minha liberdade de expressão. Eu posso pensar. Se tirarem o meu poder de pensar, eu não vivo. Eu vegeto e morro”, afirmou Marco Feliciano.

Marco Feliciano afirmou ainda que hoje em dia, poderia procurar palavras mais adequadas para dizer o que pensa, mas não deixaria de falar o que entende ser verdade: “Hoje pensaria outra forma para falar. Porque hoje eu começo a entender o que é a vida pública. Eu nunca tinha sido nem vereador. Eu tive essa expressão de votos aí. As pessoas que votaram em mim votaram porque sabem que eu sou contundente nos meus posicionamentos, e corajoso. Hoje, usaria outros tipos de palavras. Talvez falaria as mesmas verdades de outra forma. Existem várias maneiras de dizer uma verdade, né? Seria um pouquinho mais cuidadoso”, ponderou.

O pastor e deputado voltou a criticar a determinação do Conselho Federal de Psicologia sobre a reorientação de homossexuais, que proíbe os profissionais da área de oferecerem ajuda nesses casos: “Um homem, cansou de namorar uma mulher e ele está com problema psicológico. Ele vai ao Conselho Federal de Psicologia ou ao psicólogo e diz: “Olha, eu queria me reorientar. Não sei, de repente eu passei a ter uma paixão por pessoas do mesmo sexo”. O psicólogo está amparado pela lei do Conselho Federal de Psicologia para cuidar da pessoa. Se houver alguém no sentido contrário, um homossexual, ele cansou desse estilo de vida, de repente ele viu que não dá certo, ele quer se reorientar, ele quer procurar um psicólogo e falar assim: “Olha, eu sou homossexual, mas eu quero que você me ajude a voltar como eu era antes quando eu nasci. Eu gostava de mulher, ou eu gostava de homem. Eu quero que você me ajude a me reorientar”. Sabe o que o psicólogo vai dizer para ele? “Por favor, saia do meu consultório agora. Porque se alguém souber disso eu vou ser cassado pelo Conselho Federal de Psicologia”. É uma desproporcionalidade. Você pode ir para um lado, mas não pode ir para o outro. O movimento GLBT se levanta com uma doutrinação nacional. Eles se levantam nesse nosso país com uma ditadura, uma ditadura gay”.

Vídeo completo: Marco Feliciano no Poder e Política do UOL e Folha

Estelionato

O jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, publicou uma informação de que o pastor Marco Feliciano deverá depor ao ministro Ricardo Lewandovski na próxima sexta-feira, 05 de abril, a respeito do processo em que ele é acusado de estelionato.

Segundo Jardim, Feliciano tentou desmarcar o depoimento alegando um compromisso num evento religioso no Pará, mas o ministro do Supremo Tribunal Federal recusou e manteve a sessão para a data agendada.

Fonte: Gospel+

 

Carioca desiste de imitar Edir Macedo no programa Pânico na Band

Carioca desiste de imitar Edir Macedo no programa Pânico na Band

O humorista Marvio Lucio, o Carioca, do Pânico na Band desistiu do quadro “A Turma do Didi Maiscedo” onde ele imitava o líder da Igreja Universal do Reino de Deus fazendo uma sátira com o programa Fala que eu te escuto, da Record.

Carioca garante que a decisão de acabar com o quadro partiu dele mesmo e que a produção do programa não fez pressão para que ele desistisse.

“Religião é difícil. Meu conteúdo estava restrito”, disse o humorista que substituiu o personagem “Didi Maiscedo” pelo “Marcelo Sem Dente”. Mas quem assiste ao programa percebeu que o cenário ainda é parecido com o programa religioso exibido pela Record e que ainda há um personagem que exorciza demônios.

Além de se sentir “com freio de mão puxado”, Carioca também ficou com medo da incitação religiosa diante dos problemas envolvendo o deputado federal pastor Marco Feliciano.

“Esse clima de incitação religiosa assusta. Não vale fazer humor com preocupação”, disse ele. As informações são do blog Mauricio Stycer.

Fonte:GospelPrime

Ativista gay fala em armas para acabar com os Evangélicos

Em série de sermões sobre o Apocalipse, pastor fala sobre a marca da besta e o anticristo: “A vil personificação do pecado e rebelião”

Numa série de mensagens sobre o apocalipse, o pastor Greg Laurie, da megaigreja Colheita, em Riverside, Califórnia, afirmou que “nós nunca estivemos tão perto do fim do mundo como agora”.

Ele destaca que as profecias relatadas no livro não se tratam apenas do fim, mas principalmente do início de uma nova fase: “No entanto, é importante saber que a Bíblia também fala sobre um novo começo em que não haverá perversão, terrorismo, guerra ou fome… Não haverá problema de qualquer espécie. Como Isaías 11:9 diz, o conhecimento do Senhor encherá a terra. Mas irá piorar antes de melhorar”.

Citando o conteúdo de Apocalipse 13:15-18, o pastor afirmou em seu sermão que “se você buscar o número 666 no Google, você vai receber 543 milhões de resultados”, e que as muitas interpretações sobre o que esse texto significa são normais: “Provavelmente, você vai encontrar 543 milhões de ideias sobre o que ele realmente significa. Eu não acho que qualquer um possa responder isso com certeza absoluta, mas isso é tudo que sei: o anticristo vai introduzir uma sociedade sem dinheiro. O final deste jogo é fazer as pessoas envolverem-se em adoração ao diabo”.

Segundo Laurie, a profecia do livro é das mais marcantes e seu conteúdo é provado diariamente na contemporaneidade: “O fato de que as palavras do Apocalipse 13 foram escritas na era de madeira, pedras, espadas e espírito, faz desta profecia uma das poderosas provas da natureza inspiradora e confiável da palavra de Deus que alguém pudesse ter imaginado. Quem poderia prever um sistema de um mundo econômico que controla todo o comércio, senão Deus?”, questiona o pastor.

Segundo ele, as ações implantadas pelo anticristo serão a tônica de seu governo: “A política econômica do anticristo será muito simples. ‘Pegue a minha marca e me adore, ou morra de fome’. Sem marca, sem mercadoria, sem selo, sem venda”, sugere o pastor, que ressaltou no sermão que “a capacidade técnica de executar isso existe”, de acordo com o Christian Post.

Sobre o anticristo, o pastor tem uma postura incomum a respeito do tema. Para ele, tudo que é bem-sucedido, é copiado. “Satanás é o imitador final”, introduziu. “Ele tem essa imitação barata de todas as coisas que são verdadeiras. Temos verdadeiros cristãos, e satanás tem pessoas que fingem ser crentes, mas eles não são. Da mesma forma, temos verdadeiros milagres, e satanás tem imitações falsas de milagres”.

O conceito de imitação serve para explicar a ideia de Greg Laurie em torno do anticristo: “Deus tem o Seu filho. Seu nome é Jesus e um dia, satanás terá seu filho, não exatamente na forma como o filho de Deus veio, porque Jesus é Deus encarnado. Mas de certa forma, satanás terá sua versão, sua imitação de Jesus… Nós temos Jesus Cristo, e satanás terá o anticristo”.

Para o pastor Greg Laurie, o anticristo será a “vil personificação da história do pecado e rebelião”, mas não terá aparência sombria: “Não vai estar vestido de preto, de cima para baixo ou ostentar uma marca visível de 666, disse ele. Pelo contrário, o anticristo será suave, inteligente, envolvente e carismático. Ele vai fazer o que nenhum outro homem foi capaz de fazer. Haverá paz global. Ele vai resolver o quebra-cabeça de paz no Médio Oriente. Ele irá livrar o mundo do terrorismo, e será saudado como o maior pacificador. Mas por trás isso vai ser um super-homem satânico, o homem mais mal que já andou na terra”.

Fonte: Gospel+

Silas Malafaia fala sobre formação e salários de pastores

Silas Malafaia fala sobre formação e salários de pastores

Em entrevista à revista Veja o pastor Silas Malafaia explicou como investe nos pastores da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) falando abertamente sobre os valores de salários e os demais benefícios entregues a esses ministros.
“Pago entre R$ 4.000 e R$ 22.000 reais, e dou a casa, o colégio dos filhos, tudo”, disse ele ao repórter João Batista Jr.
Mas antes do pastor assumir igreja ele passa por um processo de capacitação, na ADVEC é preciso ter formação para assumir uma igreja e por isto Malafaia investe em cursos, como fez durante a Escola de Líderes da Associação Vitória em Cristo (Eslavec) que aconteceu em dezembro em Águas de Lindóia.
Para realizar este evento, Malafaia precisou bancar R$4 milhões, dinheiro conquistado com ofertas de alguns parceiros que resolveram investir nessa formação de pastores. “Antes de o curso começar, alguns parceiros tinham dado R$ 1,3 milhão, mas daí pedi aos alunos ofertas também”, explicou o pastor.
Além da formação, também é necessário ser casado para se tornar pastor na igreja de Silas Malafaia. A obrigação é baseada na Bíblia.
“Como dar conselhos e contar experiências se não passou por aquilo? Ser casado e ter filhos são condições importantes, quem fala o contrário está mentindo. Tem muita patrulha em cima disso, mas a Bíblia é clara que o pastor deve antes pastorear sua família. É profético.”
A entrevista também comenta os valores de ofertas arrecadados em 2012 pela ADVEC, o valor de R$40 milhões, que segundo Malafaia foi investido nos templos, na qualificação de pastores e em obras sociais.
Para os próximos dez anos, Silas Malafaia tem o objetivo de expandir a atuação da ADVEC, sua meta é chegar em 1.000 templos. “Tenho 120 igrejas hoje e quero chegar a 1.000 nos próximos dez anos”.

Em artigo, bispo Edir Macedo fala de guerra espiritual e afirma que o Espírito Santo não veio “para nos ensinar línguas”. Leia na íntegra

Em artigo, bispo Edir Macedo fala de guerra espiritual e afirma que o Espírito Santo não veio “para nos ensinar línguas”. Leia na íntegra
O bispo Edir Macedo publicou artigo sobre batalha espiritual e afirmou que o “Jesus não veio para nos ensinar cânticos de louvor. E o Espírito Santo tampouco veio para nos ensinar línguas”.

Em seu texto, o líder da Igreja Universal do Reino de Deus afirma que a “guerra do bem contra o mal” é “invisível e declarada, queiram os covardes, descrentes, medrosos, religiosos ou curiosos ou não”.

A ênfase da mensagem contra o diabo na pregação de Macedo envolve também, o incentivo à luta contra os espíritos: “Sem essa de esperar que se você não mexer com eles, eles também não vão mexer com você… Ou você toma a armadura de Deus e parte com tudo para cima deles e os vence, ou você fica se defendendo de seus ataques mortais. A ordem é: resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4.7”, escreveu o bispo.

Edir Macedo afirma ainda que “o pão nosso de cada dia” é na verdade, a batalha contra o diabo: “O Senhor Jesus veio para destruir as obras do diabo. I João 3.8. Isso mesmo! Ele veio para destruir as obras do diabo! Esse é o pão nosso de cada dia. Ou melhor, a nossa guerra de cada dia”.

Para o líder da Igreja Universal, a busca por melhoria de vida que muitos cristãos enfrentam, é inútil: “Assim tem sido a vida da maioria dos cristãos. Vida vivida na esperança de um dia melhorar. Quando vai melhorar? Nunca”.

Confira a íntegra do artigo “O soar das trombetas”, do bispo Edir Macedo:

O soar das trombetas convocava os guerreiros à guerra.

Queiram os covardes, descrentes, medrosos, religiosos ou curiosos ou não queiram, a guerra invisível está declarada.

Guerra do Bem contra o mal.

Não há como fugir ou esconder-se dela.

Não é uma batalha esporádica.

Mas, uma guerra constante contra o inferno a começar de agora.

Os fortes são perseverantes.

A vitória de cada um depende da sua perseverança até o fim.

Para os tais não há acordo com o diabo e seus anjos.

Sem essa de esperar que se você não mexer com eles, eles também não vão mexer com você…

Ou você toma a armadura de Deus e parte com tudo para cima deles e os vence,

Ou você fica se defendendo de seus ataques mortais.

A ordem é: resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4.7

Jesus não veio para nos ensinar cânticos de louvor.

E o Espírito Santo tampouco veio para nos ensinar línguas.

O Senhor Jesus veio para destruir as obras do diabo. I João 3.8

Isso mesmo! Ele veio para destruir as obras do diabo!

Esse é o pão nosso de cada dia.

Ou melhor, a nossa guerra de cada dia.

A cidade de Jericó estava rigorosamente fechada.

Ninguém saía, ninguém entrava.

Assim tem sido a vida da maioria dos cristãos.

Vida vivida na esperança de um dia melhorar.

Quando vai melhorar?

Nunca.

Pelo menos enquanto não houver revolta contra a situação atual.

Neste domingo, 3/6/12, teremos o Dia da Decisão, o Dia do Desafio, o Dia de provar a Palavra de Deus, enfim, o Dia D.

Quem tiver coragem para desafiar a Palavra de Deus,

Coragem para testar se ela é ou não é de Deus, está convocado.

Em todo o mundo, iremos partir para o tudo ou nada.

A Terra Prometida ao nosso pai na fé Abraão tem estado diante dos nossos olhos (Promessas de Deus).

É nossa herança, direito adquirido, feito com juramento de Deus.

Mas, ela tem sido ocupada pelo queneu, o quenezeu, o cadmoneu, o heteu, o ferezeu, os refains, o amorreu, o cananeu, o girgaseu e o jebuseu. Gênesis 15.18-21

Sabe quem são esses bandidos?

São os mesmos que têm impedido a salvação da família, a saúde física e espiritual, a libertação dos vícios, o casamento feliz, o sucesso econômico etc.

Eles têm obstruído as Promessas e retardado o seu cumprimento.

E o que é que você está esperando?

Chega!

Está na hora de partir para o tudo ou nada.

Quem crê, vem.

Quem não crê, fica.

Que o Espírito que em mim habita desperte a mesma fé em você!

Em Nome do Senhor Jesus Cristo.

AMÉM!

Fonte: Gospel+

Fernanda Brum fala sobre o homossexualismo

Vídeo: Fernanda Brum fala sobre o homossexualismo


 

Assistir a entrevista concedida pela cantora e pastora Fernanda Brum a TV Uol falando sobre o clipe da canção  ”Cura-me” e sobre o homossexualismo